Press Release
 
INDÚSTRIA DO BRINQUEDO RECEBE ENTRE R$ 600 MILHÕES E R$ 650 MILHÕES DE ENCOMENDAS COM QUEDA DE 34,5% DAS IMPORTAÇÕES
SYNÉSIO BATISTA DA COSTA, PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE BRINQUEDOS, DISSE EM COLETIVA QUE INDÚSTRIA PODE CRESCER ATÉ 15% ESTE ANO, SE O SETOR CONSEGUIR AUMENTAR COMPETITIVIDADE E BAIXAR O PREÇO NO AMBIENTE FABRIL, ALÉM DE EMPREENDER CAMPANHA PELO DIREITO DE BRINCAR DA CRIANÇA.
Entre os anos de 2012 e 2016 saíram do mercado 475 importadores, mostrando que o varejo se fechou e está se consolidando. A relação brinquedo nacional e importado passou para 57% e 43%, respectivamente, e a meta até 2021, de acordo com Synésio Batista da Costa, é chegar a 70% de produção nacional. “Demoramos 22 anos para sair de 28% para 57%. O brinquedo no mundo, ano passado, cresceu, e o Brasil obteve os maiores índices.” Segundo ele, “este ano não haverá balanço no vermelho.”

São metas da ABRINQ aumentar a competitividade do setor, reduzindo o preço no ambiente de fábrica; fundar o Instituto Brasileiro pelo Direito do Brincar e enfrentar a agenda da criança, “porque as mães terceirizaram a educação dos filhos para os eletrônicos”. Se tudo isso acontecer, reforçou, a indústria pode superar os 15% de crescimento em 2017. Outras metas enumeradas por Synésio Batista da Costa:

Buscar alterações no modelo de alíquotas,
Exigência de proteção ao ambiente laboral nas fábricas da Ásia
Criação de empregos no Brasil
Combate à sonegação e ao subfaturamento nas importações
Concorrência desleal
Construção de uma grande meta entre todas as partes envolvidas, em favor do brinquedo.
Com nosso tipo de governo, prazos de tributos, custo Brasil e tudo o mais, só tem um formato capaz de produzir resultados azuis.

A ABRIN, que este ano reúne 130 expositores em 27 mil m2, reforça o presidente da entidade, é a plataforma completa do mercado de brinquedos e puericultura, onde acontecem os grandes lançamentos que movimentam os negócios do setor durante todo o ano. Para incrementar e ampliar as oportunidades de negócios para seus expositores, neste ano a feira realiza pela primeira vez as Rodadas de Negócios. Segundo Synésio Batista da Costa, são 17 empresas de oito estados e 10 delas nunca tinham vindo à feira.

Trata-se de um conjunto de reuniões pré-agendadas entre compradores, convidados pela organização da feira, e expositores. As reuniões acontecem fora dos estandes, num ambiente reservado e exclusivo, e não tem qualquer custo adicional para as empresas interessadas. “As Rodadas reforçam o papel estratégico que a feira tem para o setor. “

Lojas de brinquedos, bazares, papelarias e supermercados de cidades localizadas num raio de 300 km da cidade de São Paulo estão sendo convidados a visitar a feira, com as despesas de transporte e alimentação subsidiadas pelo evento. O projeto é feito em parceria com Associações Comerciais e CDL´s – Câmaras de Dirigentes Lojistas dos municípios.

Os lojistas e visitantes contarão, ainda, com a Abrin Talks e Oficinas de Lançamentos, cuja programação aborda temas relevantes e estratégicos para o setor, entre tendências, branding e gestão de finanças, além de abrir espaço para demonstração prática dos diferenciais de novos produtos.


SERVIÇO:
ABRIN 2017 – 34ª FEIRA INTERNACIONAL DE BRINQUEDOS E PUERICULTURA
Data:
21 a 24 de março
Horário: 10h às 20h (dia 24, das 10h às 18h)
Local: Expo Center Norte – São Paulo
Realização: Abrinq – Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos e Francal Feiras
Informações pelo telefone: (11) 2226-3100 Site: www.abrin.com.br
Facebook: FeiraAbrin
Twitter: @feiraabrin
Google +: Feira Abrin

FEIRA DE NEGÓCIOS RESTRITA A PROFISSIONAIS DO SETOR.
PROIBIDA A ENTRADA DE MENORES DE 14 ANOS.







Data: 22/03/2017

Primeira Página